Piscinas naturais: o que é preciso para ter a sua?

As piscinas naturais não usam qualquer tipo de tratamento químico e reproduzem ecossistemas como na natureza. Ali, plantas, peixes e pessoas podem conviver – desde que haja o maior respeito e que algumas regras básicas sejam obedecidas – aproximando a família da natureza e funcionando como um ótimo elemento desestressante.

Piscinas Naturais

(Reprodução/Genesis Ecossistemas)

Segundo Ricardo Caporossi, da Genesis Ecossistemas, que faz esse tipo de piscina, uma das grandes vantagens em relação à piscina convencional, além de não usar produtos químicos, é que, esta última, só é usada durante o verão, e as naturais, por também terem finalidade ornamental, seguem úteis também no inverno. Elas também ajudam a atrair pássaros e insetos.

(Manu Oristanio/Revista CASA CLAUDIA)

“As piscinas naturais vão potencializar o paisagismo. É muito importante que a escolha de plantas para as áreas secas conversem com as selecionadas para a área aquática”, diz o paisagista Alexandre Furcolin. Segundo o profissional, esse tipo de projeto elimina a linha dura que é criada com a instalação de uma piscina com tratamento químico no jardim. “Com as naturais, tudo fica mais harmônico. É esteticamente mais bonito e naturalmente mais saudável”, diz o paisagista.

Piscinas Naturais(Reprodução/Genesis Ecossistemas)

piscina natural precisa conversar com o projeto e estilo arquitetônico da construção. “Em uma casa contemporânea, por exemplo, é interessante que um lado ou dois da piscina seja reto. E, então, em outro lado, haja uma desestruturação para que a piscina se integre ao paisagismo. É essencial que a piscina fique esteticamente incorporada ao projeto”. É possível setorizar a área destinada à natação e àquela que será ocupada por maior quantidade de plantas, pedras e incluirá peixes.

Piscinas Naturais(Reprodução/Genesis Ecossistemas)

Para que a integração ocorra, a vegetação escolhida para a piscina natural deve estar em sinergia com o paisagismo da casa. “Nós temos mais de 38 espécies de plantas aquáticas e usamos de acordo com o paisagismo e também conforme o ecossistema que vamos criar na piscina, e isso depende muito do peixe escolhido”, orienta Ricardo. As carpas são os mais usados, já que são mais dóceis. A espécie Nishikigois, além de ornamentar, é responsável pela limpeza, já que revira a areia fazendo com que a sujeira fique suspensa e seja captada pelo filtro. “É importante criar um equilíbrio entre fauna e flora para que aquele pequeno ecossistema funcione”, explica.

Piscinas Naturais(Reprodução/Genesis Ecossistemas)

A manutenção é feita mensalmente, através do filtro, que geralmente fica escondido abaixo do deque, no nível da água. Para construir a piscina natural, é preciso de uma área de, no mínimo, 40 metros quadrados. E, para o projeto ficar pronto, é necessário de pelo menos sete dias e, em seguida, mais dois meses de maturação biológica, para o ecossistema ficar estável.

Confira aqui alguns projetos de outras piscinas de casas localizadas em grandes centros urbanos como Rio de Janeiro

Via: casaclaudia