Piscinas com bar em residências viram atrações em bairros longe da praia no Rio

Piscinas com bar em residências viram atrações em bairros longe da praia no Rio

Nem praia nem cachoeira. A mania deste verão é ficar em casa e curtir uma piscina. Mesmo que a casa seja do vizinho. As chamadas “piscina’s bar”, como são anunciadas em redes sociais, já viraram point em bairros mais afastados das praias do Rio e em municípios da Baixada Fluminense. São residências com alguma infraestrutura — algumas, com algum investimento, já parecem verdadeiros resorts — que abrem as portas, mediante pagamento de diária, para receber interessados em relaxar e dar um mergulho.

Em Duque de Caxias, a piscina do Mikita, no bairro Vila Rosário, chega a receber duas mil pessoas em um só fim de semana de sol forte. O espaço, que só não funciona na segunda-feira, fica no quintal de Aroldo Pinheiro Dias, de 53 anos, mais conhecido como Mikita, e surgiu em 1986. No início, por ali só havia uma barraquinha de comida e bebida e um campo de futebol. Dois anos depois, ele resolveu construir uma piscina.

— Juntava alguns amigos para o futebol, mas, nos verões, fui percebendo que o campo ficava vazio e a piscina, lotada. Foi aí que visualizei uma possibilidade de transformar isso em negócio — revela.

O sucesso é tanto que Mikita tem hoje um complexo com três piscinas, duas para crianças e uma para adultos, além de uma ampla área de lazer. Ao todo, seu terreno chega a três mil metros quadrados. Tudo funcionando em anexo à sua casa.

Na foto, Elza Helena, Jailton Soares e Maria Vitória: curtição em família
Na foto, Elza Helena, Jailton Soares e Maria Vitória: curtição em família Foto: Roberto Moreyra / Agência O Globo

— Sou o primeiro a chegar e o último a sair. Por ser quase dentro da minha casa, faço questão que seja um espaço voltado para as famílias. Sem brigas — garante Mikita.

Em Nova Iguaçu, no bairro de Austin, a diversão nos dias mais quentes fica por conta da Piscina Bar Doce Sossego, aberta todos os dias. A área de lazer surgiu no ano passado e tem medidas semiolímpicas: 25 metros de comprimento por 20 de largura.

Sem revelar de quanto foi seu investimento, o dono do terreno, José Eduardo de Lima, o Eduardo do Doce, de 43 anos, estima receber mais de mil pessoas, em dias de forte calor. A entrada custa R$ 10 (adulto) e R$ 5 (criança).

— Os moradores não precisam sair daqui e ir até a Zona Sul curtir o sol. É até mais econômico — argumenta Eduardo, que começou a trabalhar aos 15 anos como vendedor de doces nos trens.

O hoje empresário já faz obras de expansão no quintal, construindo uma área para shows.

— O cliente paga apenas a piscina e depois pode curtir grandes shows — afirma.

Eduardo do Doce montou sua piscina em Nova Iguaçu
Eduardo do Doce montou sua piscina em Nova Iguaçu Foto: Roberto Moreyra / Agência O Globo

Na Zona Oeste, possibilidade de festas

O Sítio Quintal do Varanda, em Paciência, permite que o frequentador alugue todo o lugar para fazer festas. É preciso ter um grupo com ao menos cem pessoas para que o espaço seja fechado. Lá, além da piscina, há churrasqueiras e um campo de futebol. O proprietário, Wellington Alves, de 46 anos, revelou que já nem mora mais no local porque pretende fazer novas piscinas.

— Comecei o negócio há três anos com amigos. Eles mesmos foram dizendo que havia uma possibilidade de crescimento. No último carnaval, tive que impedir gente de entrar de tão cheio que estava — diz Wellington.

O sítio consegue reunir até 350 pessoas e funciona diariamente. O empresário ainda montou um restaurante, que só abre nos fins de semana e feriados. O valor da refeição é de R$ 13, sem balança.

Opções

Há piscinas bar bem simples, com apenas uma pequena piscina, até espaços que parecem verdadeiros clubes. As maiores ofertas estão na Baixada Fluminense e em bairros da Zona Oeste do Rio.

Onde procurar

No Facebook, no campo de busca, basta digitar “piscinas bar”. A mesma coisa pode ser feita no Instagram.

Preços

Os valores variam de R$ 5 a R$ 20 por dia. Com meia-entrada para crianças.

Serviços

Os espaços vendem comidas e bebidas. Entretanto, o público pode, se quiser, levar seu próprio lanche. Somente a bebida deve ser consumida no local.

Exigências

Esses locais não exigem exame médico nem cobram mensalidade. Basta pagar a entrada e se divertir.

, ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *